Hipogonadismo: e agora, o que fazer?

Hipogonadismo e a infertilidade masculina

A grande maioria dos homens que me procuram no consultório médico por hipogonadismo e infertilidade masculina esperam que eu possa receitar algum hormônio ou vitamina milagrosa que fará com que melhorem a produção e a qualidade dos seus espermatozoides.
Infelizmente a imensa maioria destes homens sairão desapontados e a explicação disto vem logo abaixo. Apenas uma pequena proporção dos homens inférteis tem indicação para o uso de hormônios, com o objetivo exclusivo de melhorar a produção de espermatozoides.

Por que tenho poucos espermatozoides?

A principal e mais comum causa de redução na produção espermática é a própria Insuficiência Testicular Primária, ou seja: o testículo não consegue mais produzir espermatozoides, por mais hormônios e vitaminas que se possa dar para estimulá-lo a trabalhar.
Isto é conhecido na medicina como Hipogonadismo Hipegonadotrófico.

As causas desta insuficiência testicular são várias e muitas vezes concomitantes:

  • Varicocele
  • Idade avançada
  • Orquite (infecção do testículo) por cachumba,
  • Uso de anabolizantes,
  • Tratamento de tumores maligno com quimioterapia e radioterapia,
  • Causas genéticas como a Síndrome de Klinefelter, etc…

A insuficiência testicular atinge 4% dos homens com idade de 40 a 49 anos e 10% em homens de 60 a 70 anos.

 

Entretanto, existe um grupo de homens que podem se beneficiar do uso de medicamentos para produzir mais espermatozoides. Estes homens apresentam uma boa função testicular e o problema principal está na falta de estímulo para que estes testículos trabalhem adequadamente.
Faço nas consultas com meus pacientes uma analogia com um motor de um carro: de nada adiante ter um carro com ótimo motor se a gasolina existente é pouca.

O motor, por melhor que seja, irá andar muito pouco devido à falta de combustível. Esta situação é conhecida como Hipogonadismo Hipogonadotrófico ou Insuficiência Testicular Secundária. Os hormônios FSH e LH, responsáveis respectivamente pela produção de espermatozoides e testosterona pelo testículo estão ausentes ou em pouca quantidade.

As causas mais comuns para este tipo de hipogonadismo são: Síndrome de Kallmann, tumores da hipófise, traumatismos encefálico, tratamento de tumores cerebrais com cirurgia e radioterapia, exercícios extenuantes e uso abusivo de drogas.

Algumas vezes não se consegue detectar uma causa específica, sendo então chamada de causa idiopática.